O QUE É DIABETES?

O diabetes mellitus atinge mais de 11 milhões de pessoas no Brasil, e se não for bem controlado, pode levar, ao longo dos anos, ao comprometimento da visão, da função renal, da potência sexual, etc. Estima-se que do total de indivíduos diabéticos no Brasil, metade desconheça o diagnóstico. Em nosso país, a cada 2 min.e 18 seg uma pessoa se torna diabética.
O diabetes é caracterizado pelo aumento da taxa de açúcar no sangue (glicemia), esse aumento é causado pela falta de insulina ou por um defeito no seu mecanismo de ação. A insulina é um hormônio produzido pelo pâncreas que promove a passagem do açúcar do sangue para o interior das células e assim a sua utilização como fonte de energia. Quando este processo não ocorre corretamente o açúcar se acumula no sangue e a pessoa fica diabética.
A pessoa tem diabetes se a glicose em jejum for ≥126 mg% ou ≥ 200 mg% em qualquer ocasião. os indivíduos que apresentam glicemia de jejum entre 100 e 125 mg/dl necessitam de outros exames para comprovar o diagnóstico.

Principais tipos de diabetes:

Diabetes tipo 1 ou insulino dependente auto-imune, que geralmente acomete pessoas jovens, onde o início do quadro é rico em sintomas (EMAGRECIMENTO, SEDE, MICÇÃO FREQUENTE, CÃIBRAS, CANSAÇO, BORRAMENTO DA VISÃO, ETC). Obrigatoriamente necessita de insulina ou de análogos insulina para o seu tratamento, representa 5 a 10% do total de diabéticos.
Diabetes tipo 2 ou não dependente de insulina, que normalmente acontece após os 40 anos, e atinge pessoas que estão acima do peso, que não fazem atividade física e que possuem casos de diabetes na família, corresponde à 90% do total de diabéticos. Com o passar do tempo, cerca de 50% pode necessitar de insulina para atingir a meta do tratamento. Pode ocorrer na infância e na adolescência devido ao aumento da incidência da obesidade nessa população.

 

» Homepage
» Profissional
» Artigo do Mês
» Diabetes
» Bomba de Insulina
» Contato

          

         


O número de diabéticos está aumentando:


Vivemos uma epidemia de diabetes. Hoje, estima-se que existam mais de 214 milhões de diabéticos no planeta. Atualmente, uma pessoa a cada 5 segundos se torna diabética. A previsão é de que no ano 2025 o número de diabéticos ultrapasse o 330 milhões. Tal previsão se deve, principalmente, ao aumento da obesidade e do sedentarismo. Constata-se, em vários países, que as pessoas estão aumentando o peso, mudando a dieta para pior, e diminuindo suas atividades físicas. Como reflexo, nota-se o aumento dos casos de diabetes.

O diabetes é uma doença incurável, estando associado a uma série de complicações crônicas que podem ser evitadas com o controle adequado da doença. Entretanto, muitas pessoas são diabéticas e não sabem e as que sabem, freqüentemente, não se tratam de forma adequada. Assim, essas pessoas que ainda não sabem que são diabéticas, podem levar de 5 a 10 anos até receberem o diagnóstico, e durante este tempo algumas complicações da diabetes podem surgir.

Nos dias de hoje, especialmente, nos grandes centros urbanos, poucas pessoas realizam exercícios físicos, tanto nas suas horas de trabalho quanto nas de lazer. Existem evidências de que reduções modestas no peso (entre 5 a 7%), obtidas através do controle alimentar e da prática de exercícios físicos, podem reduzir marcadamente o desenvolvimento do diabetes tipo 2 em indivíduos suscetíveis.
A atividade física é uma aliada imprescindível para alcançar uma boa forma física e sua prática deve ser desenvolvida de uma forma prazerosa e contínua ao longo de toda a vida. Vale tudo: andar, dançar, correr, pedalar, passear com o cachorro, fazer compras a pé, subir e descer escadas, fazer jardinagem, enfim, levar uma vida mais ativa.

Muitos pacientes com diabetes tipo 2 tipo podem necessitar de insulina para atingir as metas de controle da glicemia.

Insulina não dói, não vicia e pode ser descontinuada em alguns casos.
 

Com o uso correto da insulina, milhares de vidas podem ser salvas e diversas complicações do diabetes evitadas.